Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de ago de 2012

SNOW – 19 de agosto de 2012



Mensagem publicada em 20 de agosto, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou SNOW.
Que o Grande Espírito esteja em vocês.

Quando de minha última vinda, eu lhes falei dos quatro Cavaleiros do Apocalipse e o que eles representavam em sua ação sobre a Terra.
E vou falar-lhes, hoje, dos quatro Elementos que se manifestam nesse corpo e nessa consciência nos quais vocês estão.

Como preliminar, algumas palavras que arriscam, talvez, confundi-los.

Do Grande Espírito saiu a Luz.
O Grande Espírito é Amor e Absoluto.
Da Luz são emanados os Elementos, Elementos que se encontra por toda a parte, em todos os mundos, em todas as vidas.
Esses Elementos – que eu havia nomeado, para a Terra, os Cavaleiros do Apocalipse – são o que o Comandante dos Anciões (ndr: O.M. AÏVANHOV) havia chamado os Hayoth Ha Kodesh, os Quatro mais próximos da Fonte.
Emanações da Fonte, a própria emanação do Grande Espírito.

Os Elementos da Terra, no corpo do homem, foram amputados.
Eles reencontram, hoje, sua plenitude.
Eles são os testemunhos, nesse corpo de carne, da revelação que se faz.
E cada Elemento revela algo que é próprio a ele, e que lhes é próprio.
E essas quatro revelações levam-nos a juntar-se ao Grande Espírito.

A terra, primeiramente: é ela que torna mais denso e pesado o corpo, e adormece-o.
A terra, em vocês, e o Som dela, confere a esse corpo sua densidade, seu peso.
É o momento em que esse corpo não responde: ele retorna à terra.

E vem, em seguida, o Elemento Água: a Água que se espalha, por toda a parte, e que abole os limites e a separação, e que lhes dá a viver a Dissolução.

Em seguida, vem o Elemento Fogo: aquele que se lança para o alto, cujas chamas elevam e elevam-se, o que traduz o retorno ao Fogo do Espírito, ao Fogo Celeste.
Ele lhes dá a viver os diferentes Fogos.
Ele lhes dá a sentir seu calor, seus formigamentos, que percorrem os limites desse corpo.

E, depois, vem, enfim, o Elemento Ar: aquele que já havia agido na abertura da boca e na Passagem da Reversão da garganta e que, agora, agita-se em sua face e seu nariz, aí, onde passa o ar.

Seus quatro Elementos despertam nesse corpo.
É o Apelo do Grande Espírito.
É o apelo da Verdade.
É o apelo para a grande festa, na qual a Água e o Fogo não são mais opostos, na qual a Terra e o Ar não são mais opostos, na qual a densidade de um e a densidade do outro se juntam.

A Água é apenas o Fogo em evolução.
A Terra é apenas o Ar em evolução.
E a consciência segue o corpo e o corpo segue a consciência.

A Terra prepara o Êxtase.
A Água revela o Êxtase.
O Fogo restitui-os à imortalidade.
E o Ar ali se associa para elevá-los.

O Grande Espírito é isso.
Os quatro Elementos são seus quatro agentes que estão presentes por toda a parte em vocês, por toda a parte sobre a Terra.

Viver os Elementos é viver a natureza, é viver o sopro do Grande Espírito que os ilumina e aquece-os e revela-os.
O Ar é o apelo da Grande Mãe, de todos, que vocês chamam de MARIA, KUAN YIN, pouco importa.

Os Elementos levantam-se nesse corpo e nessa consciência.
Eles ecoam, em vocês, como as Trombetas de seu Despertar, que lhes dizem que é o momento, que os Elementos não serão mais separados, mas, eles também, estarão em Comunhão.
A Terra, fecundada pela Água e pelo Fogo, eleva-se no Ar.

Minhas palavras são apenas imagens, mas traduzem o que acontece.
A Terra solidifica-se e expande-se: tanto sua Terra como esse corpo.
A Água põe fim à separação desse corpo.
O Fogo eleva e o Ar transporta.

O Grande Espírito chama, assim, cada criatura a voltar a levantar-se e a elevar-se.
A Terra satura-se de Água e de Fogo, que dá ao Ar a capacidade de reunir-se e de investir o Éter.

A Terra é o que está na parte inferior do corpo, que foi fecundado pela Onda de Vida, o tam-tam da Terra.
A Água abriu-os ao batismo da Comunhão.
O Fogo lembra-os do que nós somos: parcela do Grande Espírito e Fogo.
O Ar eleva o corpo.

Assim é o apelo do Grande Espírito, o apelo do Céu e da Terra, que se produz, também, em cada um de vocês.
Os sinais do corpo não podem enganá-los.
Eles levam a consciência desse corpo a não mais ele ser assimilada ou identificada, a transmutá-lo, pelo reconhecimento do Grande Espírito.
E isso está, agora, sobre esta Terra.
Aí está um grande mistério.

Para vocês, no Ocidente, todas as religiões roubaram-lhes seus Elementos, sem qualquer exceção, fazendo-os crer em outra coisa que não o que nós, Indígenas, sabíamos, de toda a eternidade.

Aqui, sobre a Terra, nós somos constituídos de Elementos da Terra.
No céu, nós somos constituídos de Elementos do céu.
Esquecer-se dos Elementos é esquecer-se da vida.
Assim sempre agiram as forças que os privaram da liberdade.

Reencontrar os Elementos é reencontrar a Liberdade.
É uma grande alegria, uma grande renovação, que em nada se apoia que possa ser alterado ou falso.

Assim são esses tempos nos quais o Grande Espírito sopra, nos quais o Fogo Celeste deposita-se, nos quais a própria Água transforma-se e nos quais a Terra – que abriga, também, o mesmo Fogo – abre-se, para deixar passar o Fogo.
O Fogo do alto, o Fogo de baixo, a Terra do alto, a Terra de baixo, a Água do alto e a Água de baixo, dois aspectos da mesma Verdade.

Os Elementos tornam-se sensíveis, cada vez mais, e vocês a eles respondem.
Eu sempre lhes disse que a Natureza é sua aliada porque, aqui, sobre a Terra, nós temos a mesma composição, a mesma natureza.
Os Elementos são as forças vivas, o plano da vida.

Aquele que despertou seus Elementos não será tocado pelos Cavaleiros, mas arrastado para a Verdade ainda maior.
Reconhecer a natureza é reconhecer sua Natureza.
Viver os Elementos é viver o último Reencontro, o mais importante.

Tudo isso acontece agora.
Nada há de assustador.
É o exato retorno da Verdade.
É uma celebração, é um canto e é uma dança: o canto e a dança das células do corpo, o canto e a dança da consciência.
Convite para que vocês despertem, para em nada mais crer, exceto no que vocês vivem.
Nada mais aceitar, sem verificá-lo, por si mesmos.

É o que vem dizer-lhes o Grande Espírito, é o que vêm dizer-lhes os Cavaleiros e o que lhes dizem seus Elementos.
Momentos de grandes regozijos.

Àquele que não reconhece os Elementos e os Cavaleiros falta esse regozijo.
O que vocês veem fora acontece dentro, cada vez mais.

A revelação dos Cavaleiros faz-se, agora, no conjunto de seu corpo, como no conjunto da Terra.
Ninguém poderá evitá-la.
Estejam atentos e vivam o que os Elementos dão a vocês.
Não busquem mais isso e nada rejeitem.

A Natureza é sua aliada, os Elementos também.
Os Elementos são a força viva do Grande Espírito.
Eles são a força viva do Despertar desse corpo, do Despertar da noite e da ausência de Luz.
Nada pode subtrair-se dos Elementos e, sobretudo, nada do que construiu o homem do Ocidente, que se afastou ou que foi afastado da Verdade.

Deixem os Elementos Ser, deixem os Elementos Livres, porque é sua Liberdade, quer sejam os sintomas do corpo – que eu dei – ou os sintomas da consciência, é, sempre, o Grande Espírito que se dirige a vocês por sua Embaixadora MARIA.

Ninguém pode desviar-se dos Elementos.
Vocês sentem o vento soprar, mas vocês não sabem de onde ele vem ou para onde ele vai, e é similar para cada Elemento: sem início e sem fim, apenas inscrito em sua manifestação que há a viver.
A Terra e o Grande Espírito decidiram isso.
Vivam-no, simplesmente.

Eu sou SNOW ou PLUMA BRANCA.
Eu sempre evitei os olhares de homens divididos.
Hoje, a Luz e os Elementos iluminam o mundo, em vocês e sobre a Terra.
Vocês têm apenas que acolhê-los, deixá-los agir, como emanação da Luz.
Eles sabem muito bem o que fazer, sem que vocês se misturem nisso, sem que vocês ali se demorem.

Facilitem a tarefa deles em vocês.
Não resistam, e ninguém pode a isso resistir.
Vejam além de minhas palavras.
Vejam além desse sentido aparente.

Eu sou SNOW e, por minha vez, eu os abençôo.
Eu os convido a ser, enfim, vocês mesmos, para além do corpo desta Terra.
Esse corpo é da Terra.
O que vocês São é do Grande Espírito e da Liberdade.

SNOW diz até uma próxima vez, no Grande Espírito e no Amor, na Luz.
Até logo.
______________________________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

4 comentários:

  1. Um Show da Snow, ao estilo de um grandioso e celestial Poema, e mais além: "Os Elementos da Terra, no corpo do homem, foram amputados. Eles reencontram, hoje, sua plenitude <> Seus quatro Elementos despertam nesse corpo. É o Apelo do Grande Espírito. É o apelo da Verdade <> É o apelo para a grande festa, na qual a Água e o Fogo não são mais opostos, na qual a Terra e o Ar não são mais opostos, na qual a densidade de um e a densidade do outro se juntam <> A Água é apenas o Fogo em evolução. A Terra é apenas o Ar em evolução. E a consciência segue o corpo e o corpo segue a consciência. <> A Terra prepara o Êxtase. A Água revela o Êxtase. O Fogo restitui-os à imortalidade. E o Ar ali se associa para elevá-los <> Esquecer-se dos Elementos é esquecer-se da vida. Assim sempre agiram as forças que os privaram da liberdade <> Viver os Elementos é viver o último Reencontro, o mais importante <> Vocês sentem o vento soprar, mas vocês não sabem de onde ele vem ou para onde ele vai, e é similar para cada Elemento: sem início e sem fim, apenas inscrito em sua manifestação que há a viver".

    ResponderExcluir
  2. Snow:
    "E a consciência segue o corpo e o corpo segue a consciência.
    A Terra satura-se de Água e de Fogo, que dá ao Ar a capacidade de reunir-se e de investir o Éter.
    Para vocês, no Ocidente, todas as religiões roubaram-lhes seus Elementos, sem qualquer exceção, fazendo-os crer em outra coisa que não o que nós, Indígenas, sabíamos, de toda a eternidade.
    Aquele que despertou seus Elementos não será tocado pelos Cavaleiros, mas arrastado para a Verdade ainda maior.
    Reconhecer a natureza é reconhecer sua Natureza.
    Viver os Elementos é viver o último Reencontro, o mais importante.
    Nada mais aceitar, sem verificá-lo, por si mesmos.
    Eu sempre evitei os olhares de homens divididos."

    Deu-me o sentimento, que esta mensagem, 'É a própria Natureza'. Enquanto lia, ouvia o 'Som do Vento, nos Eucaliptos'.
    A Graça, nos toca.
    Noemia

    ResponderExcluir
  3. Gente, estou com dificuldade de compreender esta mensagem.
    Tem alguma outra mensagem mais explicativa sobre estes elementos e sua ação,para ver além desse sentido aparente?

    Anna

    ----------------------------------------------------------
    Esquecer-se dos Elementos é esquecer-se da vida.
    Assim sempre agiram as forças que os privaram da liberdade.

    Vejam além de minhas palavras.
    Vejam além desse sentido aparente.

    ----------------------------------------------------------------------------
    "A terra, primeiramente: é ela que torna mais denso e pesado o corpo, e adormece-o.
    A terra, em vocês, e o Som dela, confere a esse corpo sua densidade, seu peso.
    É o momento em que esse corpo não responde: ele retorna à terra.

    E vem, em seguida, o Elemento Água: a Água que se espalha, por toda a parte, e que abole os limites e a separação, e que lhes dá a viver a Dissolução.

    Em seguida, vem o Elemento Fogo: aquele que se lança para o alto, cujas chamas elevam e elevam-se, o que traduz o retorno ao Fogo do Espírito, ao Fogo Celeste.
    Ele lhes dá a viver os diferentes Fogos.
    Ele lhes dá a sentir seu calor, seus formigamentos, que percorrem os limites desse corpo.

    E, depois, vem, enfim, o Elemento Ar: aquele que já havia agido na abertura da boca e na Passagem da Reversão da garganta e que, agora, agita-se em sua face e seu nariz, aí, onde passa o ar.

    Seus quatro Elementos despertam nesse corpo."
    ----------------------------------------------------------------------------


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna, neste nível de realidade (não conceitual) em que os quatro elementos estão sendo enfocados, na MSG, não há como compreender, pois que foi justamente esta compreensão, instalada na nossa consciência dissociada, que nos tem impedido de vivê-los. Além disso, o mais expressivo na MSG é que chegou o momento destes elementos emergirem nas nossas vidas, sobrepujando-se a todos os controles e confinamentos lhes impostos, sobretudo decorrentes da nosso velho jeito de querer saber, ao invés de viver a ordem natural do que é sagrado, que é este o caso, pois que eles surgem por encanto (vocês sentem o vento soprar, mas vocês não sabem de onde ele vem ou para onde ele vai, e é similar para cada Elemento: sem início e sem fim, apenas inscrito em sua manifestação que há a viver).

      Excluir