Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

17 de nov de 2012

SNOW – 17 de novembro de 2012


Mensagem publicada em 18 de novembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui

(GRAVAÇÃO REALIZADA A PARTIR DO TEXTO ORIGINAL FRANCÊS, SUJEITA, PORTANTO, A CORREÇÕES QUANDO DA TRANSCRIÇÃO).


SNOW – 17 de novembro de 2012

Mensagem publicada em 18 de novembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Meu nome é SNOW.
Que o Sopro e o Fogo do Grande Espírito estejam conosco.

Irmãos e Irmãs, eu volto a exprimir-me, entre vocês, para voltar a falar do avanço dos Quatro Cavaleiros, e também da reunião deles em sua ação, tanto em vocês como de maneira visível sobre a Terra.

A ação dos Quatro Cavaleiros inscreve-se, doravante, na amplificação dos quatro pontos cardinais.
Esta amplificação dos quatro pontos faz-se, é claro, em vocês, como sobre a Terra, do mesmo modo.
Mas, de sua localização sobre esta Terra, em relação à ação privilegiada dos Elementos, decorrem, talvez, diferenças de vivência.

Estar submisso à ação dos Elementos (mesmo se eles não possam, efetivamente, e como eu disse, modificar o que vocês São ou alterar o que vocês São) tem, contudo, efeitos profundamente diferentes, segundo o solo no qual vocês estão, segundo o lugar no qual vocês estão sobre a Terra, em relação ao Sol e ao plano do que é nomeado o Equador (ou eclíptico).
Vocês são afetados de diferentes modos (e de maneira cada vez mais forte, cada vez mais sensível e, por vezes, entre vocês, de maneira, por vezes, muito incômoda), em suas ocupações, em sua consciência e em sua vida.

A ação dos Quatro Cavaleiros vai encontrar-se amplificada, de modo muito mais importante do que eu havia descrito, há alguns meses (ndr: sua intervenção de 19 de julho de 2012).
A ação dos Cavaleiros é, agora, aí também, uma ação de Reunificação do que havia sido desunido: os Quatro Cavaleiros reúnem e unificam a Luz dissociada, que permite à Luz que lhes é acessível (daí de onde vocês estão) reconfigurar-se, diretamente, na Luz Original.
Os Cavaleiros permitem isso.
Porque eles Liberaram o Éter da Terra, eles Liberaram, em vocês (inteira ou parcialmente), seu próprio Éter.

As manifestações de seu corpo, as manifestações de sua vida, de sua consciência, de tudo o que vocês são, são diretamente a religar-se com essa intensificação desses Elementos, mas, também, sua aproximação, sua ação conjunta e simultânea: dois por dois, três por três, e, doravante, muito em breve, quatro por quatro.

Os Cavaleiros, seja em suas manifestações Interiores, em suas manifestações sensíveis, na Natureza ou, ainda, no Céu, tendem a harmonizar-se e a tornar-se Una.
A ação dos Quatro Elementos, quando é conjunta, revela o Éter, não mais, unicamente, o Éter da Terra (que está Liberado), não mais, unicamente, o Éter do Céu, mas, também, o Éter coletivo.
A realização do Canal de Comunicação (nomeado Canal Mariano) tornou-se sincrônica e coletiva, que permite, aí também, uma ação dos Cavaleiros muito mais em profundidade, muito mais em evidência, mas, também, com uma força cada vez mais palpável, eu diria.

Os Sinais do Fogo do Céu (ou, se preferem, a ação de MIGUEL) conjugam-se, agora, com a ação do Fogo da Terra: há, portanto, uma Reunião e, ao mesmo tempo, uma ação comum e sinérgica, entre o Fogo do Céu, o Fogo da Terra.
O Cavaleiro que rege isso age do mesmo modo no Fogo do corpo e no que é religado, como eu havia dito, ao Triângulo da Terra, da cabeça como do corpo.
Isso lhes dá a viver modificações (e interações) muito mais importantes do que foi o caso até o presente.

Alguns de vocês descobrem a ação dos Cavaleiros, em si, em sua sinergia.
É claro, isso se acompanha (e vocês o vivem, nós o dissemos) de inúmeras modificações de tudo o que são seus funcionamentos, desde os mais simples e os mais quotidianos, até a consciência a mais refinada.
Isso se desenrola, também, sobre a Terra.

Essa sinergia vai traduzir-se por uma nova intensificação que sobrevirá em muito pouco tempo.
Essa intensificação resulta da Fusão do Fogo do Céu e do Fogo da Terra.
Fogo da Terra representado, é claro, pela agitação do sangue da Terra que vocês nomeiam os vulcões.
A coloração do Fogo (a cor vermelha), visível na Água, visível no Céu, e visível sobre a Terra (como em seu corpo), traduz a Fusão (ativa, real e pronunciada) do Fogo do Céu e da Terra, ou seja, do Elemento Fogo, tal como nós o conhecemos na encarnação (esse fogo que queima a madeira, que aquece, que serve para cozinhar os alimentos), reunido, doravante, ao Fogo do Céu: o ALFA do Céu juntou-se ao ALFA da Terra.
É o que se traduz pela intensificação do Fogo do Céu e da Terra, mas, também, em vocês.

É o mesmo para cada um dos Quatro Elementos que lhes concernem, em vocês, quer eles venham da Terra como do Céu.
A separação dos Elementos não tem mais curso.
Essa Reunificação dos Elementos vai ser vivida, do mesmo modo, em sua carne e em sua consciência, o que lhes dá cada vez mais sinais patentes do que são os Elementos, na constituição de toda consciência e de toda a vida.
Em inúmeras tradições, ocidentais ou primitivas, nós reencontramos essas quatro Direções, esses quatro Orientes, esses quatro Elementos como Elementos a saudar.
Nós, povos primitivos, honramos os Elementos.

Hoje, os Elementos do Céu e da Terra reencontram-se, e é o que lhes dá a viver essas modificações importantes, em vocês.
O Éter, enfim, esse Elemento que era tão raro (e que sustenta, eu os lembro, toda encarnação como toda Dimensão), torna-se cada vez mais ativo.
O que podia, ainda, ser ignorado, na negação a mais total, por alguns de nossos Irmãos e Irmãs adormecidos ou que recusavam ver a evidência, vai encontrar-se profundamente desestabilizado, porque essa negação não poderá mais, é claro, manter-se.

A partir do instante em que a terra da Terra (em sua expansão e sua Ascensão) tornar-se visível, para inúmeros de vocês, quando o solo começar a abrir-se sob seus passos, de maneira tangível, quando o manto de sua Mãe, a Terra, abrir-se, quando o Fogo da Terra ressurgir de seus orifícios, quando a água colorir-se, quando o Elemento Água e o Elemento Ar encontrarem-se para dar turbilhões de vento, que não eram, jamais, observados aí, onde vocês estão, quando o Elemento Água torna-se invasivo, e quando a Terra treme sob seus passos em lugares nos quais ela não havia, jamais, tremido, quando a intensidade do que treme torna-se aparente (e não pode mais ser contestada, mesmo pela negação importante), então, vocês saberão que, naquele momento, a última Trombeta soou e ecoou.

Nada mais se oporá, então, durante este período, ao Anúncio de MARIA.
Nada mais se oporá ao aparecimento, simultâneo, sincrônico e total, do Som do Céu e da Terra.

Então, vocês saberão que o momento chegou de avaliar, em vocês, não para observar-se, não para perguntar-se onde vocês estão, mas, bem mais, para deixar a Luz, nessa fase final, trabalhar em vocês.
Vocês nada podem fazer por si mesmos, a não ser Abandonar-se, totalmente, ao que está aí.

De sua capacidade para Abandonar, mesmo os aspectos os mais agradáveis de sua consciência, de sua capacidade para deixar trabalhar e viver o que está aí, viver-se-ão, ao seu modo (que é pessoal e individual), os mecanismos do aparecimento do Éter da Terra, tanto no conjunto de estruturas de seu corpo como desse mundo.

Os Quatro Cavaleiros, portanto, trabalharam: eles conseguiram a junção entre o Céu e Terra.
Bem mais do que simplesmente Liberar a Terra, eles permitem a coesão e o aparecimento da nova Dimensão, mesmo na Dimensão na qual vocês estão.
Esse processo de sincronização entre os quatro Orientes, novos, e os quatro Orientes, antigos, traduz-se, é claro (e traduzir-se-á cada vez mais), por movimentos, movimentos de Elementos, observáveis, sem qualquer artifício técnico, por seus sentidos, por seus olhos, pelo sentir de seus pés.

O que se desenrola, de maneira tangível, em seu corpo, desenrola-se também, de maneira tangível, na Terra.
São, portanto, os Quatro Elementos, desta vez, do mais íntimos da Terra, que são Liberados.
A Liberação do Núcleo da Terra liberou a Onda do Éter.
E agora, os Elementos da Terra são, eles também, Liberados.
A conjunção dos Elementos do Céu e dos Elementos da Terra dar-lhes-á a viver (de maneira tangível, indiscutível, geral e global), na escala de seu corpo, como no corpo da Terra, a totalidade da ação dos Elementos: ação de Purificação, ação de Unificação, ação de Reunificação e, é claro, ação nas condições de vida que não poderão mais ser as mesmas que aquelas do que é nomeada a 3ª Dimensão.

A fase de ajuste, a fase de justaposição (quando ela for totalmente realizada), realizará, por sua vez, em vocês, um mecanismo de parada, muito específico.
Esse mecanismo de parada é, também, a parada de seu corpo, como a parada da Terra, em sua rotação.
Tudo isso se produzirá, e vocês serão prevenidos disso, no momento vindo, com suficientemente latência para preparar-se, Interiormente, para viver isso na maior das Pazes, na maior das Tranquilidades e, também, na maior Lucidez.
Essa etapa de Fusão dos Elementos do Céu e da Terra realiza-se em vocês e leva-os, aí também, a constatar o que vocês vivem.
Essa constatação nada mais requer do que ali adaptar-se.

Eu os lembro (e eu sempre disse isso) que, nesses momentos e nesses momentos que vêm, a Terra e os Elementos da Terra são capazes de fornecer-lhes tudo o que é necessário.
Eu lhes dei os sinais do Apelo de um Elemento (ndr: ver, em especial, sua intervenção de 18 de outubro de 2012).
Agora, é o conjunto dos Elementos que vai chamá-los.
Então, vocês podiam responder ao Apelo de um Elemento: se o Elemento Ar chamava-os, eu havia dito que era mais fácil acolher o Ar nas árvores na floresta, e se a Água chamava-os, era mais fácil viver esse Apelo junto à Água (ou, eventualmente, na água, ou ao lado da água), qualquer que seja a forma dessa água.

Mas a Fusão dos Elementos do Céu e da Terra (como a Fusão dos quatro Elementos, aqui, para vocês, e em vocês) não permite mais, unicamente, beneficiar-se dos elementos da Natureza que, eles, estão em ordem.
Porque essa ordem, é preciso também, agora, não mais considerá-la, unicamente, como algo a procurar, mas, efetivamente, algo a Ser, onde quer que vocês estejam: no fundo de sua cama, como no escritório, como se ocupando de seus filhos.

A ação conjunta dos Quatro Cavaleiros precipitar-se-á, em um prazo extremamente curto, que lhes dá ver (em vocês e como sobre a Terra) a ação conjunta dos Elementos.
Essa ação conjunta dos Elementos não pode ser, simplesmente, comparada a uma reunião desses quatro Elementos, mas sim, real e concretamente, como o aparecimento de um Elemento que era rareficado sobre a Terra, que é nomeado: o Éter.
O Éter da Terra já lhes é perceptível, seja pela visão Etérea, pela visão do Coração, ou por algumas experiências.

Hoje, não são mais experiências, mas isso vai tornar-se quotidiano e vai tornar-se habitual.
Quer vocês queiram ou não, quer vocês estejam na aceitação ou na recusa: isso nada mudará porque, muito exatamente, a ação do Éter, restituído a ele mesmo, tem ações bem mais profundas e bem mais importantes do que o que vocês puderam viver, em seu nível, cada um, até agora.

O Sopro e o Fogo do Grande Espírito habitarão vocês.
Além de ver, e além de viver nossas Reuniões, nossos Contatos, nossas Presenças, são vocês mesmos que virão (de algum modo, agora e já, aqui mesmo, aí onde vocês estão, nessa fase do Éter) restituir essa multidimensionalidade.
O Éter é o suporte da multidimensionalidade, como da consciência.
É o que vieram desvendar-lhes, acordar e despertar, em vocês, os quatro Elementos do Céu e da Terra.

A Reunião deles, agora, não vai mais deixar, em muito pouco tempo, dúvida ao que está a caminho.
Aí está o Choque da Humanidade, para aqueles que não o vivem ainda.

Ver o Fogo na Água, ver a Terra misturar-se à Água, ver a Água recobrir a Terra, ver o Fogo, a Água, a Terra e o Ar, render-se em um mesmo destino (visível, no Céu como sobre a Terra), não poderá mais deixar plainar qualquer dúvida sobre o que vocês vivem, vocês todos, Irmãos e Irmãs sobre a Terra.

Durante este período, é claro, será sempre possível dirigir-se à Natureza a aos seus Elementos.
Mas vocês devem, também, compreender que todos os recursos estão instalados em vocês.
O que algumas de minhas Irmãs Estrelas e alguns Anciões chamaram os Quatro Pilares do Coração e a ignição do Coração, ao nível Vibral, são o Testemunho e a garantia diretos do que acontece sobre a Terra: ou seja, a expansão dela, como sua expansão Dimensional.
A mudança de forma, a mudança de preparação (da Terra, como a sua) são, doravante, adquiridas e a caminho.

Vocês conseguiram (e, isso, o Comandante disse, em numerosas reprises) encurtar um intervalo de tempo (penoso, para alguns, e eu diria mesmo, para muitos, sobre a Terra) à sua porção a mais curta possível.
Mas, como o Comandante disse: há prazos astronômicos.

Vocês conseguiram, pela ação de sua consciência, modificar, pela Atração e Ressonância, o curso de alguns corpos celestes.
Mas vocês não podem modificar (como a Terra não pode fazê-lo) o curso da Luz.
E ela (que já penetrou, em alguns momentos, pelos polos da Terra) penetrou no coração da Terra, mas, também, vai manifestar-se, de modo privilegiado, aí onde se encontrava o que o Comandante nomeou as Linhas de Predação e de confinamento da Terra (ndr: ver, sobre esse assunto, a intervenção de O.M. AÏVANHOV, de 04 de setembro de 2012).
Nessas zonas, o Éter da Terra vai reestruturar a matéria e reestruturar a consciência.

Isso se tornará visível a vocês, nessa zona específica, abaixo do Equador, que corresponde ao que é nomeado o Oceano Pacífico.
Tudo isso responde, é claro, a um projeto.
E eu sei que o Comandante falou, há muito tempo, dessa região do mundo.

É, em conformidade ao que lhes havia enunciado, há numerosos anos, o Arcanjo JOFIEL, a primeira das regiões a viver, como Povos da Terra, seu mecanismo de Ascensão e de expansão (ndr: ver a intervenção de JOFIEL de 12 de maio de 2008).

Aí onde vocês estão, na Europa (aí onde eu me exprimo), vocês não poderão ignorar o que se desenrola, sobre a Terra, como em vocês, de modo cada vez mais evidente, de modo, também, cada vez mais intenso.
Aí onde vocês se situam (quer vocês estejam com o Grande Espírito ou, ainda, nessa pessoa), isso não fará mais qualquer diferença na ação dos Elementos e, sobretudo, na ação do Éter.
O Éter, em vocês, é responsável de forças de expansão.
Ele é responsável, em vocês, de mecanismos nos quais esse corpo e essa Dimensão parecem cada vez mais ausentes, cada vez mais pesados, ou cada vez mais inaparentes, conforme onde vocês Estejam.

A ação conjunta dos elementos revela, portanto, o Quinto Elemento.
É aquele que trabalha de maneira privilegiada no tempo que se abre.
O Éter no Céu, como o Éter na Terra, como o Éter em vocês, é bem mais do que a conjunção dos quatro Elementos: ele é o suporte dos quatro Elementos, ele é o suporte da própria consciência, e ele é o lugar, presente por toda a parte, no qual se encontra, ao mesmo tempo, A FONTE e o Absoluto.
Tudo isso se desenha diante de vocês.

Para aqueles que estão atentos ao que se desenrola em si, para aqueles que estão atentos, de maneira objetiva, ao que se desenrola sobre a Terra, é evidente que algo se encadeou e que esse encadeamento tornar-se-á cada vez mais perceptível, a partir da abertura de seu próximo mês.

Sua consciência vai chamá-los a estarem, cada vez mais, Presentes a si mesmos.
Essa Presença a si mesmos faz-se no Éter, e pelo Éter.
Ela vai fazê-los viver faixas de tempo, cada vez mais longas e pronunciadas (o que vocês vivem, em alguns momentos, como os Alinhamentos, pessoais e coletivos), como um estado que se tornará cada vez mais natural e comum.
A visão do Éter, visível ao nível dos Elementos como de sua consciência, vai levá-los a viver uma espécie de transformação radical.

Essa transformação radical fará com que, do modo pelo qual vocês se colocaram (para um sono, para uma sesta, para um momento de repouso), vocês viverão essa espécie de Basculamento muito específico.
Quando esse Basculamento sobrevier, de maneira indubitável, para vocês, aí, vocês saberão que bascularam, real e concretamente, no novo estado de sua consciência, ao mesmo tempo mantendo, ainda, esse corpo presente, de diferentes maneiras, deixando sentir ou viver os laços nas periferias de seu corpo.

A Revelação do Coração Ascensional decorre, agora, diretamente da União dos quatro Elementos, e da ação do Éter, em sua consciência.
Essa ação do Éter visa fazê-los reencontrar o que vocês São, realmente: esse Sopro, esse Fogo que queima, esse Grande Espírito, que era vivido como separado e exterior, que vocês, talvez, adoraram, sob outros vocábulos ou outros nomes.
Mas é uma coisa adorar, ou viver, algo nomeado Deus, ou A FONTE, ou qualquer outra denominação (como o Grande Espírito), do que realizar, conscientemente, que isso não tem mais que ser orado porque inaparente, mas que a Presença disso é a oração permanente do que vocês São.

Sua consciência viverá, claramente (ainda também, aí, nesse nível), um antes e um depois.
Aí também, como Libertador da Terra, Ancorador da Terra, é-lhes oferecida a possibilidade de antecipar a expansão da Terra, em sua Ascensão final.
Vivendo isso, por antecipação, em um tempo relativamente curto, vocês ajudam o Éter da Terra a tornar-se cada vez mais perceptível, para o conjunto de nossos Irmãos e de Irmãs, onde quer que eles estejam sobre esta Terra, onde quer que eles estejam no próprio Choque da Humanidade.

Esse Choque da Humanidade, alguns de vocês já o vivem, individualmente, como a interrogação de uma mudança de estado, como, talvez, dúvidas e interrogações.
Não deixem tomada para tudo isso.
Simplesmente, lembrem-se de que esse instante pessoal que vocês vivem vai inscrever-se em um momento muito mais amplo e muito mais intenso, coletivo, a um dado momento.
É preciso, portanto, não preparar-se exteriormente, não antecipar qualquer chegada de elementos traumáticos em sua vida.

Lembrem-se de que o conjunto de sua fisiologia, doravante, modificou-se, para aqueles de vocês que estão nos postos avançados da recepção da Luz e do estabelecimento da própria Luz.
Isso se traduz, em vocês, por muitas modificações: olhem suas necessidades de comer, olhem suas necessidades de sono, olhem as próprias reações de sua personalidade, tais como elas eram em sua vida, antes, e sua vida, agora.

Torna-se evidente que o conjunto de condições da vida muda, e mudará, de maneira cada vez mais abrupta, mesmo para os Elementos da Terra na Natureza.
Zonas cada vez maiores (tanto da Terra como de seu corpo) vão acordar e pôr-se em sintonia com a Fusão dos quatro Elementos, a Fusão dos Éteres, a Fusão da Luz, e a Fusão à Unidade.
Tudo isso está, efetivamente, bem avançado.
Tudo isso segue um desenrolar que não depende mais da Terra, que não depende mais de vocês, que depende, unicamente, da capacidade da Terra para fusionar seus próprios elementos com os quatro Elementos do Céu, ou seja, para juntar-se ao Éter da nova Dimensão.

É, portanto, uma fase intensa que os espera.
É, portanto, uma fase sem precedentes que os espera.
É, portanto, uma fase na qual o que aparecia em alguns lugares da Terra e de seu corpo, vai tornar-se permanente e geral.
É uma fase na qual, mais do que nunca, vocês poderão verificar o que muitos Anciões e Estrelas nomearam a “Inteligência da Luz”, que eu nomeio, de meu lado, a Potência do Grande Espírito.

O Sopro do Grande Espírito, e seu Fogo, tornam-se permanentes: eles atiçam, permanentemente, o que estava alterado e amputado, ao nível dos elementos da Terra, que permite reencontrar a Vibração original, a Vibração Primeira ou, se vocês preferem, a Vibração Última (o que dá exatamente no mesmo).

Vigiem, como disse minha Irmã HILDEGARGE, para estarem atentos ao que entra em vocês (ndr: intervenção de HILDEGARDE DE BINGEN, de 03 de outubro de 2012).
Vigiem, também, para estarem atentos ao que sai de vocês.
Porque vocês podem fazer mais mal com o que sai do que o que entra em sua boca.
Vigiem para evitar tudo o que se referiu à consciência de antes: tudo o que é separação, tudo o que se referiu ao julgamento, à condenação.

Lembrem-se de que, nesta fase, cada Irmão, cada Irmã está, muito exatamente, no bom lugar para viver o que ele tem a viver, que vocês, absolutamente, nada podem mudar (a quem quer que seja, para quem quer que seja, ou no que quer que seja) durante este período.
Vocês podem apenas beneficiar-se do que vocês realizaram.
Vocês podem apenas beneficiar-se, muito exatamente, do estado no qual vocês chegaram Interiormente, mas manifestável à consciência comum.

Vigiem para reservarem-se momentos, não mais tanto na Natureza, mas, bem mais, o que eu nomearia momentos de Tranquilidade.
Eu não falo mesmo do meditativo, de meditação, mas eu falarei efetivamente, mais do que vocês têm tendência, no ocidente, a chamar de estado contemplativo, no qual vocês se imergem em outra coisa que não vocês mesmos, essa contemplação que deve fazer-se de maneira privilegiada, com, doravante, o Elemento Fogo.

Vocês estão, no Ocidente, na estação na qual o fogo pode ser aceso nas lareiras, na qual vocês têm a possibilidade, se não têm lareira em suas casas, de olhar a chama de uma vela.
Estejam, simplesmente, na contemplação do Mistério do Fogo.
Porque toda criação é feita pelo Fogo.
Porque toda destruição da Ilusão faz-se pelo Fogo.
Porque toda mudança de forma faz-se pela ação do Fogo.

O Fogo comanda e dirige os outros Elementos.
É ele o primeiro a acolher o Éter, devido à sua leveza.
O Fogo da Terra não é mais, doravante, unicamente, o Fogo da Terra, não mais unicamente o Fogo do Céu (visível pela ação de MIGUEL), mas, sim, real e concretamente, o Fogo do Éter.
O Fogo do Éter, que não é mais alterado, desemboca, não na morte desse corpo, mas em sua Ascensão.

Lembrem-se: só o ponto de vista de onde vocês estão os faz ver as coisas de modo diferente.
Se vocês estão instalados no efêmero: vocês viverão o fim do efêmero.
Se vocês estão instalados na Eternidade: vocês verão e viverão a Alegria de sua própria Eternidade, como da Eternidade da Terra, em sua nova Dimensão (ou onde quer que vocês estejam, em qualquer sistema solar que seja).

Lembrem-se de que esse período é, também, o tempo do Reencontro entre o Céu e a Terra, quer sejam os habitantes da Terra, como os habitantes de outras Terras, em outros Céus.
O momento do Reencontro chegou.
Ele se traduzirá a partir do instante em que a Fusão dos Elementos estiver inteiramente realizada, e isso será anunciado por MARIA.

Vocês têm, portanto, a ver e a viver, a interpenetração de dois mundos, a interpenetração de duas consciências, a interpenetração de uma realidade temporária, e ilusória, e efêmera, com uma Realidade Absoluta, total, permanente e imanente.
Tudo isso vai desenrolar-se, em vocês, como visível aos sentidos da carne, como ao próprio mental.
O modo de abordar isso, é claro, dependeu, até o presente, de sua preparação (eu creio que um dos Anciões falou de Maturidade) (ndr: IRMÃO K, em sua intervenção de 16 de outubro de 2012).
Mas a Maturidade está aí, mesmo se vocês não estejam, ainda, suficientemente maduros.

A qualidade Vibratória, as qualidades dos Elementos da Natureza, juntos do Éter, permitirão a vocês, aí também, acolher, cada vez mais (se vocês a aceitam, se vocês recusam lutar), sua própria multidimensionalidade.
Esses momentos são momentos mágicos e não há qualquer trágico nisso.
Então, é claro, alguns Irmãos e Irmãs (que são, ainda, tributários de algumas ilusões e de alguns lados efêmeros) poderão, é claro, em um primeiro tempo, chamar a isso: "trágico”.
Mas nada há de trágico, vocês sabem disso.

E de sua capacidade para viver essa expansão, desenrolar-se-á um tempo, cada vez mais curto, para o conjunto de Irmãos e de Irmãs da Terra, para não estar nesse trágico.
O trágico é apenas um lado do Véu.
A mágica está do outro lado do Véu.
Assim, portanto, de onde vocês se têm (desse lado do Véu onde vocês estão, ou do outro lado), sua visão, sua vivência não será, de modo algum, a mesma.

Mas lembrem-se de que, o que quer que vocês tenham a viver, de acordo com sua localização, pela ação da Fusão dos Elementos e do Éter restituído em vocês, desenrolar-se-á sua consciência: na aceitação ou na recusa, no choque ou na negação, na cólera ou na aceitação.
Aí também, no momento coletivo, seu momento individual será profundamente diferente, de acordo com sua integração dos Elementos da Natureza, sua integração de seus próprios Elementos, em vocês, e de sua capacidade e de sua capacidade para estar instalados nos Quatro Pilares do Coração, para que o Coração Ascensional possa implementar-se e revelar-se, agora, até sua extremidade.

Sem demorar-me nisso (porque não é de meu domínio), eu os lembro de que o Grande Espírito sopra onde ele quer e quando ele quer, em vocês.
O Grande Espírito penetrou de todas as partes.
Ele reencontrou quatro espaços específicos, situados ao nível dos limites de seu tronco, chamados as axilas e chamados as virilhas (ndr: ver a rubrica “protocolos / Revelação do Coração Ascensional”).
Esse investimento da totalidade do corpo pelos quatro Elementos, em vocês, do Céu e da Terra, no Encontro deles com o Éter, permitirá levar esta Luz Vibral até a periferia de todos os seus campos de energia que vocês nomeiam auras.

O conjunto desses centros de energia do corpo, onde quer que estejam situados (nas mãos, nos pés, como no alto na cabeça ou sob os pés ou, ainda, ao nível dos joelhos, ao nível dos cotovelos, ao nível das virilhas e das axilas, ao nível de suas Lâmpadas que vocês nomeiam chacras), vai pôr-se em movimento, em uma mesma sequência e em uma mesma amplitude.
Quando isso se produzir, em vocês (se já não se produziu), então, o momento terá chegado, para vocês, de viver, enfim, essa Ascensão tão esperada.

Lembrem-se de que se vocês não estão instalados nesse aspecto, vocês podem ser levados a viver alguns lados como trágicos, seja ao nível do corpo (em sua evolução, em sua aparência, em sua doença ou sua saúde) ou, ainda, em sua consciência.
Se vocês deixam trabalhar, do mesmo modo, os Cavaleiros, em vocês (não mais, unicamente, um por um, ajustando-se de acordo com o Elemento que os chamavam), como foi explicado há pouco tempo (ndr: ver as intervenções de SNOW de 1º de novembro de 2012, de SRI AUROBINDO de 02 de novembro de 2012 e de UM AMIGO de 02 de novembro de 2012), se o conjunto de Elementos age, em vocês, então, vocês terão a possibilidade de viver o Éter ao nível de seu corpo e, portanto, de viver a expansão de seu corpo, nessa nova Dimensão, com ou sem o corpo (como vocês constatarão, isso não tem mais qualquer espécie de importância).

Sua consciência será, total e definitivamente, Liberada de toda ilusão.
Isso, é claro, inscreve-se em uma forma de sincronia com o Sopro e o Fogo do Grande Espírito, em ação sobre a Terra.
O Grande Espírito vem vivificar cada parcela de matéria: a Transfiguração e a Ascensão da Terra, matéria, está em curso.
Isso nós dissemos, já há numerosas semanas, mas vai tornar-se cada vez mais perceptível, mesmo para aqueles que, até o presente, entre nossos Irmãos e nossas Irmãs, estavam na negação a mais total.

Lembrem-se de que aqueles que passam da negação, antes de integrar e de aceitar, devem passar pela negociação e, sobretudo, pela cólera.
Em face dessa cólera (quer ela seja representada por uma egrégora coletiva ainda ativa, quer seja representada por um elemento próximo de vocês, em sua família, em suas frequentações), lembrem-se de que para nada serve nutrir essa cólera por outra cólera.
Que basta, simplesmente centrar-se não, unicamente, alinhando-se entre seus quatro Elementos, ao nível da Cruz dos Elementos, mas, também, sob o que está sob os pés (ver a rubrica “protocolos / Expansão da Consciência até a Infinita Presença”).

Realizando esse Alinhamento, vocês encontrarão um Alinhamento, total, com o Éter e com a Luz.
Esse Éter da Luz terá, então, uma ação consequente, imediata, flagrante, no que está em cólera, ao redor de vocês.

Retenham que vocês não podem lutar contra os Elementos e, em sua resistência aos Elementos, para alguns Irmãos e Irmãs, vocês podem apenas estar Tranquilos e, sobretudo, estar colocados entre a Cruz do Céu e a Cruz da Terra que se desenha sob seus pés.
Essa Cruz foi evocada: ela corresponde, de um lado, ao Ponto no qual penetrou a Onda de Vida, mas, também, ao ponto de apoio de seu calcanhar, no solo, aí onde se encontra, precisamente, o que permite o assentamento, ao mesmo tempo desta Dimensão, como da consciência.

O que estava no Céu, está agora sobre a Terra.
É, portanto, lógico que, do mesmo modo, as Estrelas, quando de sua revelação e de sua ação, tenham sido representadas por doze Portas, na escala do corpo.

É, do mesmo modo, observável, hoje, que o que está no alto torna-se, realmente, como o que está embaixo, para fazer, como dizia um Grande Neófito, o Milagre de uma única coisa.
Aí está a Unificação da consciência com o Grande Espírito.
Aí está a pacificação do que havia sido alterado.
Aí se encontra o que eu nomearia a Reconciliação, a Transfiguração, e a Ascensão.
Mas lembrem-se de que a Ascensão não pode ser totalmente vivida, em toda liberdade, enquanto vocês não tenham renunciado a si mesmos, enquanto vocês não tenham abandonado o Si, enquanto pretendam, de uma maneira ou de outra, conduzir sua vida.

Os Elementos vêm mostrar-lhes que não são vocês que conduzem essa vida, mas que é a Vida que conduz a vida: a Vida Unificada, a Vida restituída à Beleza, a Vida restituída ao Grande Espírito.
Naquele momento, o Grande Espírito trabalha em vocês, mas não são mais vocês que trabalham.
Aí se situa o que as Estrelas e os Anciões, no Ocidente, chamaram Crucificação e Ressurreição.

A dor da humanidade dependia, é claro, do tempo que podia escoar-se entre a Crucificação e a Ressurreição.
Esse tempo, como vocês sabem, está reduzido à sua mais simples expressão.
A Crucificação dos Elementos isolados da Terra permite a Ressurreição.
É a revivificação da Origem, do Oceano Primordial, da junção do Éter (que havia sido retirado para cada um dos Quatro Cavaleiros e dos quatro Elementos) que lhes dá, realmente, a possibilidade de viver isso.

Não são vocês que decidem.
A única coisa que vocês podem, realmente, decidir, é Abandonar-se a si mesmos, Abandonar-se à Luz, Abandonar o Si e deixar, mais do que nunca, trabalhar a Fusão dos Éteres, em vocês, para realizar o Éter novo.
Nada mais há a fazer, durante este período, que não seguir as indicações, para vocês, da Luz.
Quer essas indicações sejam fornecidas em sonho, quer sejam fornecidas, agora, cada vez mais lúcidas, não mais, unicamente, por uma de nós, ou um dos Anciões, que os chamam por seu nome, mas, bem mais, que poderão transmitir-lhes informações.

Esses elementos que lhes serão aportados serão próprios para cada um e permitirão a vocês a avaliar os preparativos finais de sua própria Ascensão, de acordo com as qualidades que são necessárias, para vocês.
Vigiem, portanto, para estarem atentos, não mais, unicamente, para estarem na natureza, mas, verdadeiramente, para recolherem as informações dessa Fusão de Elementos, em vocês.
Quer seja em sonho, quer seja por vozes, cada vez mais perceptíveis em seus ouvidos ou, ainda, de outros modos, por exemplo, como o Reencontro com um Irmão, com uma Irmã, Despertos, como vocês.

Os Duplos, também, vão tornar-se cada vez mais ativos, seja o Duplo KI-RIS-TI, seja o Impulso Posterior Metatrônico, ou o Fogo Micaélico, em vocês.
Os Quatro Pilares vão dar-lhes a viver relações privilegiadas com aqueles que encarnam e suportam, para vocês, em seu mundo, os Elementos.

Eu os lembro, para isso, que minha Irmã MA ANANDA (ndr: MA ANANDA MOYI) é o Fogo.
Eu os lembro, para isso, que minha Irmã GEMMA (ndr: GEMMA GALGANI) é o Ar.
Eu os lembro, para isso, que minha Irmã ANNA (ou ANNE) é o Elemento Terra.
E que o Elemento Água, é claro, é representado por IS-IS (ndr: MARIA).
Tudo isso vai aparecer-lhes de maneira cada vez mais lógica.

A melhor analogia que eu posso encontrar: é uma criança que descobre um quebra-cabeças, como vocês dizem ou, se preferem, jogos de construção, e que vê o que constitui o jogo de construção.
Ela tem a mão sobre cada uma das peças, mas não sabe, ainda, como montar as peças: as peças montam-se por si mesmas, o que lhes dá a ver, agora e já, e em muito pouco dias, o trabalho final ou, se preferem, a finalidade de tudo o que se desenrola sobre a Terra, neste momento.

Mesmo aqueles que não podiam percebê-lo, imaginá-lo (de uma maneira ou de outra, até o presente), isso vai aparecer a eles como um jogo de construção, perfeitamente bem realizado, que lhes dá a ver algo definido.
A passagem da Crucificação à Ressurreição, para muitos Irmãos e Irmãs que, até o presente, estavam ainda em uma recusa, em uma negação, ou em uma cólera, vai tornar-se cada vez mais aparente.
O que aparece é, portanto, a Verdade.
O que desaparece é, portanto, a Ilusão.
Isso, inúmeros Anciões, inúmeras Estrelas, e inúmeros Arcanjos, explicaram.

Suas experiências, múltiplas e variadas, provaram-lhes, talvez, e demonstraram, também, mas se esse não foi o caso, até o presente, muito em breve isso não poderá mais dar, jamais, qualquer dúvida em vocês.
A Transparência desse mundo está se estabelecendo.

Não se deixem abusar pelas zonas e as bolsas de resistência que poderão parecer-lhes ocupar a dianteira da cena e puxá-los para anos atrás, bem antes de sua abertura de consciência.
Lembrem-se de que essas bolsas de resistência, ou essas zonas de resistência, quaisquer que sejam os nomes que portem (seja a guerra, sejam as doenças, sejam os sismos, sejam os vulcões), são apenas jogos ilusórios.
Só aquele que adere a isso, sofre com isso.

E lembrem-se também de que certo número (como vocês dizem?) de protocolos foi-lhes dado para permitir ajustar-se ao mais próximo. 
Eu falei, quanto a mim, até o presente, de elementos da natureza.
Mas os elementos, no estado bruto, são também portadores, sobre esta Terra, da Luz.
O que quer dizer que, mesmo o que vocês nomeiam ferramentas (como seus cristais), eles também estão repletos e carregados de Luz, assim como seu corpo.
Só o desequilíbrio, por vezes, de sua consciência (ligado ao que pode restar de medos e de incertezas, em vocês, ao nível mental), pode puxá-los a viver sofrimentos, mas, aí também, vocês podem ajudar-se com os Elementos, com o Sopro e o Fogo do Espírito que está presente em seus minerais e seus cristais, para colocá-los em diferentes lugares e realizar o que se desenrola em vocês, de maneira mais simples.

Quanto menos vocês resistem, mais isso será simples.
Quanto mais vocês resistem, mais isso se tornará complicado, a cada dia, cada vez mais.
Cabe a vocês decidir: vocês querem estar submissos às leis desse mundo?
Vocês querem estar em acordo com a Lei da Graça?
Cada vez mais, isso vai aparecer-lhes como evidente, mesmo se nos primeiros tempos possa parecer-lhes ser oscilações, de sua consciência, de seu humor, que passam de tal estado a tal outro estado.
Retenham que isso não tem mais, verdadeiramente, muita importância.
Que só, mais do que nunca, o Grande Espírito, seu Sopro e seu Fogo são vitais, primordiais e, verdadeiramente, essenciais.

Se vocês ocupam apenas disso, todo o resto seguirá, sem qualquer exceção, seja seu corpo (qualquer que seja seu estado), sejam seus próximos (mesmo aqueles que se colocariam, deliberadamente, na confrontação e na oposição, vocês não lhes oferecerão absolutamente nada com o que se atritar, nada com o que se opor, e, sobretudo, nada com o que se confrontar) porque a Luz é Transparência.
Cabe a vocês fazer a experiência disso, nessa fase de Fusão dos Elementos.
Cabe a vocês manifestar o que se desenrola em vocês (para aceitá-lo, para deixá-lo desenrolar-se) e reencontrar sua herança.

Aí está o anúncio que minhas Irmãs Estrelas pediram-me para fazer-lhes.
Eu penso que MARIA será mais precisa, quanto a certo desenrolar.

Se nos resta tempo (e eu penso que é o caso) e se vocês têm questões em relação ao que eu acabo de dizer, Irmãos e Irmãs, aqui presentes, que eu abençoo, ainda uma vez, eu os escuto.

Questão: o que significa sentir o Elemento Ar que vibra, ao mesmo tempo em que o Elemento Fogo?

O que faz o Elemento Fogo sobre o Ar?
Ele atiça o Fogo.
É por isso que eu falei do Sopro e do Fogo do Grande Espírito.
Porque, como vocês têm visto, ao nível da Cruz dos Elementos da cabeça, dessa Cruz fixa, o que acontece?
Existe uma conjunção, efetivamente, nos eixos, entre a Água e o Ar, entre o Fogo e a Terra: era a primeira etapa.
Agora, vocês têm uma junção do Fogo e do Ar, da Água e da Terra, dois por dois, três por três, e quatro por quatro.
Isso se desenrola em você como no exterior de você.
Não há outros significados que não a totalidade do que eu exprimi concernente à Crucificação e à Ressurreição.

Questão: parece, portanto, que a natureza é menos preponderante hoje?

A natureza terá, sempre, a aportar-lhes as Virtudes dos Elementos considerados, presentes em algumas de suas partes.
Eu digo, simplesmente, que a natureza, efetivamente, tornar-se-á menos preponderante porque ela, também, tem que levar, agora, ao seu termo, sua própria Fusão do Éter, e Restituição ao Éter.
Vocês têm que se restituir ao seu próprio Éter, e isso se desenrola, de maneira mais intensa, eu diria, em vocês.
E hoje, mais do que nunca, o melhor apoio que vocês podem encontrar é, efetivamente, não, unicamente, a natureza, mas, bem mais, de permanecer Tranquilos.
O elemento, portanto, o mais ativo não é um dos Elementos, mas, bem mais, sua própria imobilidade, o que eu nomeei: contemplação.
Mas uma contemplação que não seria tanto dirigida para um dos Elementos, mas para o que, eu creio, o IRMÃO K havia nomeado essas qualidades de Transparência, de Atenção, de Maturidade, de Autonomia e de Liberdade.
Ou seja: viver o Instante, aí onde vocês estão, independentemente de todas as circunstâncias anteriores ou, mesmo, Interiores.
Observem o desaparecimento de seu corpo.
Observem o adormecimento de seu corpo, como da consciência.
E observem que vocês continuam aí.
Para ilustrar, exatamente, o que lhes disse o Comandante, e que eu retomo palavra por palavra: “não são vocês que desaparecem, mas o mundo, tal como vocês o conhecem”.

Questão: a que corresponde o fato de sentir como um fogo que se difunde pelo Coração e que é alimentado, ao mesmo tempo, pelas extremidades do corpo?

Minha Irmã, isso corresponde, muito exatamente, ao que eu chamei a Revelação Final do Coração Ascensional.
Isso se produz ao nível das dobras da virilha e das dobras das axilas.
Mas, a um dado momento, essas quatro barreiras desaparecem, e isso vai manifestar-se até as extremidades.
É, portanto, uma sequência lógica.
Eu esclareço, aliás (mesmo se não seja de minha alçada), que o que havia sido colocado, até o presente, como minerais, ao nível das dobras das virilhas e das dobras das axilas, pode ser colocado, agora, nas quatro extremidades, para aqueles que vivem este tipo de Revelação (ndr: ver “protocolos / Revelação do Coração Ascensional”).

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãs e Irmãos encarnados nesse Plano da Terra, nós estamos, doravante, cada vez mais com vocês, cada vez mais ao seu lado, cada vez mais em vocês.

Aqueles que duvidavam (porque não viviam, até o presente) vão render-se à evidência, nos dias que vêm e nas semanas que vêm.

Permitam-me oferecer-lhes, novamente, um momento de Fusão, no Fogo e no Sopro do Grande Espírito.

Esse será meu modo de saudá-los e de dizer-lhes: até uma próxima vez.

... Partilhar da Doação da Graça...

SNOW lhes diz: até breve.
___________________________________________
NDR: Os Triângulos Elementares

___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

2 comentários:

  1. Nem dá para acreditar, de tão completa que foi esta fala da Snow. Só mesmo estando nos finais de todos os entraves e já em plena Ação de Graça, para ser contemplado, e porque não, laureado, com todas estas preconizações constantes desta MSG. Em outras palavras: "A nevíssima Snow, interveniente aqui em pauta, mais que arrasou, no sentido o mais elevado da atual conjuntura e perspectiva. Nunca a dúvida sobre as benesses superiores teve a chance de sucumbir totalmente. Enfim, salve esta fala tão conclusiva, sobre os maiores desígnios que nos esperam.

    ResponderExcluir
  2. "O Grande Espírito vem vivificar cada parcela de matéria: a Transfiguração e a Ascensão da Terra, matéria, está em curso.
    "A Revelação do Coração Ascensional decorre, agora, diretamente da União dos quatro Elementos, e da ação do Éter, em sua consciência. Essa ação do Éter visa fazê-los reencontrar o que vocês São, realmente: esse Sopro, esse Fogo que queima, esse Grande Espírito, que era vivido como separado e exterior, que vocês, talvez adoraram, sob outros vocábulos ou outros nomes ( Deus, ou A FONTE, como o Grande Espírito ), ...isso não tem mais que ser orado porque inaparente, mas que a Presença disso é a Oração Permanente do que vocês São.

    "O momento do Reencontro chegou. Ele se traduzirá a partir do instante em que a Fusão dos Elementos estiver inteiramente realizada, e isso será anunciado por MARIA.
    "A fase de ajuste, a fase de justaposição (quando ela for totalmente realizada), realizará, por sua vez, em vocês, um mecanismo de parada, muito específico. Esse mecanismo de parada é, também, a parada de seu corpo, como a parada da Terra, em sua rotação. Tudo isso se produzirá e vocês serão prevenidos disso, no momento vindo, com suficientemente latência para preparar-se, Interiormente, para viver isso na maior das Pazes, na maior das Tranquilidades e, também, na maior Lucidez.

    "Aí está a Unificação da consciência com o Grande Espírito.
    "Aí também, como Libertador da Terra, Ancorador da Terra, é-lhes oferecida a possibilidade de antecipar a expansão da Terra, em sua Ascensão final. Vivendo isso, por antecipação, em um tempo relativamente curto, vocês ajudam o Éter da Terra a tornar-se cada vez mais perceptível, para o conjunto de nossos Irmãos e de Irmãs, onde quer que eles estejam sobre esta Terra, onde quer que eles estejam no próprio Choque da Humanidade."

    ResponderExcluir