Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

13 de ago de 2013

Satprem – 13 de agosto de 2013


Transcrição da intervenção de hoje, por SATPREM.
A gravação foi cortada alguns minutos antes do fim de sua mensagem, nosso irmão Melquisedeque transmitiu, na sequência, suas saudações, que não aparecem no áudio.
Esse áudio original é-lhes, contudo, partilhado, esperando uma releitura de melhor qualidade.
Bela Vibrância a todos.

Séverine Authier


--------

Bem amados filhos do UM, eu sou SATPREM, e eu venho, com muita alegria, exprimir-me, hoje, através desse canal.
Gostaria não de relatar minha experiência nesse mundo, quando estive encarnado, mas convidá-los a essa noção de Abandono no Ilimitado.

Irmãos e irmãs, saibam que o Ilimitado revela-se quando todas as suas crenças em qualquer noção de limites são apagadas.
As crenças apagam-se e dissolvem-se sob a ação da Luz Unificada, sob a ação da Verdade Última de quem vocês são.
Isso pode sobrevir no momento desse face a face que ocorre no coração do Silêncio, no coração de si mesmos, nesses tempos.

Permitam-me, alguns instantes, Comungar com vocês, de coração a coração, para reencontrar-nos nesse Silêncio que já está em vocês.

(Silêncio – Comunhão)

O Abandono nesse Ilimitado não é anular, negar tudo o que vocês creem ser, mas, simplesmente, aceitar esse Último Ilimitado que vocês são desde sempre.
É isso, também, a Humildade, meus irmãos e irmãs.
É Reconhecer, sendo pequeno, toda a sua Luz e a sua Verdade.
É Acolher, para além de todo acolhimento, o Cristo Unificado que vocês são, porque a Verdade de Cristo sempre esteve impressa em seu coração, sempre foi sua Natureza primeira.

Para exemplificar, é como se vocês tivessem embarcado em um balão e que, pouco a pouco, soltassem todos os pesos, todos os pesos ilusórios que para nada servem, que não são o que vocês são, em Verdade.
A Leveza é o que vocês são, a Graça e a Fluidez são sua Natureza.
O Fogo do Amor está em seu coração, desde sempre, Ele é sua Natureza e, hoje, ele se espalha e desdobra-se, cada vez mais, não, unicamente, através desse corpo, através de seu Templo interior, eu diria, mas, igualmente, na superfície de todo o planeta.

Então, bem amados, irmãos e irmãs, juntem-se ao Centro.
Não há medo a ter nem a manter em face do que vocês são porque, no Amor, o medo não pode subsistir.

Além de qualquer salto, além de qualquer pulo, é um Abandono total que é, simplesmente, olhar em face do que vocês são, o que sempre foram, Reconhecê-lo e Aceitar, simplesmente.
É naquele momento que o Milagre sobrevém, se posso utilizar esse termo que é, certamente, afastado da Verdade.

Então, no coração do Sol que vocês são, filhos bem amados, irmãos e irmãs que eu sou, em Verdade, estejam, novamente, nesse Silêncio que dança, sejamos esse baile Imóvel.
Juntos, sejamos, novamente, UM.
Reconheçam isso, reconheçam essa Verdade, porque nada mais há, nada mais.
Todos os jogos e as resistências que vocês puderam conhecer até hoje vão explodir em face de todo o Amor que se intensifica, hoje, no coração de seu planeta e no coração de seu corpo humano terrestre.
É uma explosão de Alegria, é um Fogo de artifícios de Felicidade que, pouco a pouco, vai tomar lugar e ao qual inúmeros, inúmeros de nós aplaudimos no Silêncio.

Então, irmãos e irmãs, eu os convido à Dança, eu os convido a aplaudir esse Fogo de artifícios, a aplaudir no Silêncio.
E é assim que vocês poderão penetrar mais sua própria Natureza, esse Silêncio, essa Explosão de Amor imóvel que é Abundância, Contentamento, Felicidade, além de tudo o que vocês podem imaginar.

Os Anciões, todos os seus irmãos Melquisedeques que estão presentes ao meu lado transmitem-lhes todo o Amor e bênçãos.
Eles os acompanham, nós todos os acompanhamos nesses tempos de face a face, esse face a face no qual vocês se encontram sós em face de si mesmos.
É o que foi nomeada a Última Passagem.
Aí, vocês ali estão.
Vocês estão no limiar da Verdade, até perceberem, finalmente, que não há limiar algum, porta alguma, que há apenas a Verdade.
A verdade toda nua, a Verdade desprovida de qualquer crença, de qualquer conhecimento, de qualquer sabedoria ancestral, de tudo o que vocês puderam conhecer e aprender em seu mundo.

Unidos no Coração dos corações, na Verdade que nós somos, nós os saudamos, Melquisedeques e tantos outros, que estamos em vocês, que somos o que vocês são.

Eu sou SATPREM, e eu venho oferecer-lhes todo o meu Amor.

A ilusão, hoje, toma fim, isso é irreversível, porque o Amor retoma todo o Seu Lugar.
É tempo, é tempo, meu irmão, é tempo, minha irmã, de abrir seu olhar do coração, de abrir seus braços, de abrir-se, amplamente, para Acolher o que vocês são, o que é bem maior e bem mais infinito do que todos os universos, do que todas as galáxias, aí, onde não há mais qualquer referência, onde nada mais há do que vocês conhecem.
Ousem esse passo, para além de qualquer passo, ousem mergulhar nesse Ilimitado.

O Abandono final não é um trajeto de um ponto a outro, para um ideal espiritual, mas, efetivamente, a parada de todo conhecido.
É como se nós lhes pedíssemos, quando de uma gravação, para pressionarem o botão «pausa», para que cesse o jogo, para que cesse essa peça de teatro, qualquer que seja o nome que vocês tenham dado.
É apenas quando vocês param tudo o que creem ser que o Silêncio e a Verdade final podem manifestar-se e subir à superfície, eu diria.
Porque essa Verdade, esse Último Ilimitado ou, ainda, chamado Absoluto, sempre, sempre esteve aí, presente.

Eu falei disso em minha vida e, hoje, eu venho convidá-los a soltar a mão de nós todos, intervenientes, de todos os seus irmãos, embora nós estejamos aí, em vocês e ao seu redor, nesse plano e em outros planos, para acompanhá-los.
Hoje, nós lhes pedimos para reencontrarem, Sozinhos, sem ninguém, diríamos, para reencontrar toda a sua Plenitude e a sua Verdade.

O que mais pedir, irmãos e irmãs, que o que lhes é proposto hoje?
É um presente inestimável que é proposto, que é oferecido a cada um, a cada uma, que é oferecido por sua Verdadeira Natureza.
Como fechar a porta a isso, irmãos e irmãs?
Como fazer de conta de nada ver, queridos amigos?
E alguns, nós sabemos, nada quererão ver, até o extremo limite, até essa Última Revelação da Verdade.
Cada irmão, cada irmã tem a liberdade total em face disso, de suas escolhas.
Mas, hoje, meus queridos amigos, eu venho, novamente, convidá-los a isso.
Um pacote foi colocado junto à sua porta.
O que vocês esperam para abri-lo?
O que vocês esperam para descobri-lo?
E, mesmo se isso, para vocês, represente o Desconhecido, saibam que só o Amor ali se encontra.

Eu sou SATPREM, e eu os amo.
Todos os Melquisedeques juntam-se a mim, para saudá-los.
Eu voltarei, em breve, a exprimir-me através desse canal, para prosseguir nosso trabalho e transmitir-lhes o que tenho a partilhar com vocês, como a vibrar.

Eu os Amo e saúdo-os.
Até sempre e até muito em breve, nesse Coração Unificado.
__________________
Transmitido por Séverine Authier – Coletivo dos filhos da Lei de Um.

5 comentários:

  1. Todos os jogos e as resistências que vocês puderam conhecer até hoje vão explodir em face de todo o Amor que se intensifica, hoje, no coração de seu planeta e no coração de seu corpo humano terrestre.

    Vocês estão no limiar da Verdade, até perceberem, finalmente, que não há limiar algum, porta alguma, que há apenas a Verdade.

    A ilusão, hoje, toma fim, isso é irreversível, porque o Amor retoma todo o Seu Lugar.

    O Abandono final não é um trajeto de um ponto a outro, para um ideal espiritual, mas, efetivamente, a parada de todo conhecido.

    ResponderExcluir
  2. Um pacote foi colocado junto à sua porta.
    O que vocês esperam para abri-lo?
    O que vocês esperam para descobri-lo?
    E, mesmo se isso, para vocês, represente o Desconhecido, saibam que só o Amor ali se encontra.´

    Para abrir esse presente, é preciso aceitar perder sua Alma, é preciso aceitar perder sua família (mesmo ela permanecendo)
    é preciso refutar também Autres Dimensions e todo este conhecimento, sua vibração, sua experiência espiritual.
    É preciso nada pedir e tudo doar, se doar inteiramente.
    É preciso aceitar morrer vivo, e a morte é transcendida, o presente é aberto, mesmo que não se veja o presente, você sabe de algum modo que ele está ali. E isso tudo não pode ser realizado com uma pressão, com objetivo de resultado. É um apagar-se. É um Silêncio que te leva ao Não Ser.
    Sabem daquelas máquinas que vc coloca a ficha, e ela fica presa ali, e não cai. E quando vc esquece dela, ela simplesmente cai sozinha e você ri de toda essa encenação. É mais ou menos isso. O Amor que você É se revela.
    Nós somos UM. Nós somos o Absoluto Amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente que o Luiz Antonio foi, como tem sido, aliás, da maior consistência, nos seus ricos Comentários. Esta não é a 1ª vez que me congratulo com estas suas participações tão louváveis.

      Contudo, na questão da REFUTAÇÃO, que foi tão bem introduzida pelo BIDI, e agora tão enfatizada pelo Luiz Antonio, ainda lembraria e reforçaria o seguinte aspecto: "Não se trata de negar ou rejeitar o que quer que seja, mas sim, apenas estar consciente de que não somos aquilo que se nos apresente, mesmo que por 'sorte' isso venha a nos atravessar". Em outra palavras: "As coisas são o que elas são, e por isso, refutar não tem como eliminar coisa alguma, exceto a hipótese de nos identificar seja com o que for".

      Excluir
  3. "Gostaria ...convidá-los a essa noção de Abandono no Ilimitado.
    "O Abandono nesse Ilimitado não é anular, negar tudo o que vocês creem ser, mas, simplesmente, aceitar esse Último Ilimitado que vocês São desde sempre.

    "O Abandono final não é um trajeto de um ponto a outro, para um ideal espiritual, mas, efetivamente, a parada de todo conhecido. ... Onde não há mais qualquer referência, onde nada mais há do que vocês conhecem.

    "As crenças apagam-se e dissolvem-se sob a Ação da Luz Unificada, sob a Ação da Verdade Última de quem vocês São. Isso pode sobrevir no momento desse Face a Face que ocorre no Coração do Silêncio, no coração de si mesmo, nesses tempos.

    "É apenas quando vocês param tudo o que creem ser que o Silêncio e a Verdade final podem manifestar-se e subir à superfície, eu diria.
    "Porque essa Verdade, esse Último Ilimitado ou, ainda, chamado Absoluto, sempre, sempre esteve aí, presente.

    "Abandono Total que é, simplesmente, olhar em face do que vocês São, o que sempre foram, Reconhecê-lo e Aceitar, Simplesmente.
    "É isso, também, a Humildade, meus irmãos e irmãs.
    É Reconhecer, sendo pequeno, toda a sua Luz e a sua Verdade. É Acolher, para além de todo acolhimento, o Cristo Unificado que vocês São, porque a Verdade de Cristo sempre esteve impressa em seu coração, sempre foi sua Natureza Primeira.

    "Hoje, nós lhes pedimos para Reencontrarem, Sozinhos, sem ninguém, diríamos, para Reencontrar toda a sua Plenitude e a sua Verdade.
    "Ousem esse passo, para além de qualquer passo,
    Ousem mergulhar nesse Ilimitado."

    ResponderExcluir
  4. Quando a Mensagem vira um Poema,

    Um desnudar do conteúdo individual e coletivo...

    Quando juntos, não forma a maioria, mas UM.

    "... Sua própria Natureza, esse Silêncio, essa Explosão de Amor imóvel que é Abundância, Contentamento, Felicidade, além de tudo o que vocês podem imaginar." 'Uma dádiva', diria um amado amigo, que foi meu pai.

    Não mais parcelas da Verdade, Verdade velada, mas inteira, imediata, translúcida...

    Mergulhar... Mergulhar solitária e profundamente, nas 'regiões abissais', do Silêncio e sentir o que acontece...

    Eu acolho...

    ResponderExcluir